Ego (1)

Menos umbigo e mais cabeça acima
das nuvens - para ver e rever o Outro.
Na poesia, na vida não se vai aos cimos
sem os vales, sem a charneca; o potro

bravio do Ego; quem sabe aproxime
um dia apenas, num só segundo troco
o dito pelo não dito, o mouco ouvir,
moeda nímia – pelo escutar o Outro:

Nome novo, nume: chão de Anunciação.
Espoca em minha língua o verso alheio:
liberta de meu recôndito covil o corpo
voz da alegria: ressoa a arte coral, então!

Ego (I)

by adalbertodequeiroz

0

Thanks for the...

  1. 0Smile
  2. 0Inspiration
  3. 0Laugh
  4. 0Story
  5. 0Mindtrip
  6. 0Help
  7. 0Feelings

Thank the author

0

Comments


No one has commented on this note yet

Previous
Next